domingo, 26 de dezembro de 2010

Apple pie natalina


Pois é, gente, este ano não teve sobremesa light na ceia, não. Mas resgatei uma receita muito antiga da Jean, uma amiga querida que conheci há uns 10, 11 anos, quando morava na Itália. Uma americana de coração enorme que me abrigou no apartamento dela em Milão por 4 meses. Aí vai então só pra vocês terem um gostinho, a foto da torta de maçã, que na verdade é uma receita da mãe da Jean. Uma autêntica apple pie.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Sobremesa viva natalina



Olha só que legal, gente. Terça passada fiz uma mini-oficina para os hóspedes do Bálsamo Spa. E a receita que fizemos já rendeu releituras. Nesta foto, a sobremesa viva que o Sergio adaptou, com recheio de banana, cobertura de creme de avelãs e decoração com cerejas frescas. Bem no clima do Natal! Grata, Sergio, pela contribuição.

E atualizando vocês, a Thais também testou. Só que a versão dela foi com pêssego em calda. Demais!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Guia d@ Solteir@ Vegan@ - Episódio 12


No meu primeiro dia de férias, me empolguei. Resolvi fazer uma receita de família (da parte libanesa) que aprendi com uma prima no início do ano, mas ainda não tinha testado. Chama-se buebn (não tenho ideia de como se escreve). O fato é que se trata de um "hambúrguer" de trigo. Basta lavar o triguilho e deixá-lo hidratar por 1 hora, bater em um processador com sal e temperos (o original é com hortelã fresco, mas, como não tinha, fiz com zatar), acrescentar um pouco de farinha de trigo para dar liga e fazer os hamburguinhos. Depois basta grelhá-los numa frigideira sem óleo e depois de pronto, passar no azeite de oliva. Para acompanhar, uma saladinha de acelga e cenoura - orgânicas, claro!

sábado, 18 de dezembro de 2010

Guia d@ Solteir@ Vegan@ - Episódio 11


Tarde chuvosa, bateu um friozinho. Cheguei em casa morrendo de fome e fiz logo duas tapiocas com azeite, farinha de linhaça e zatar. Mas faltava um aconchego. Nada melhor do que um creminho de abóbora. Aquece o estômago e coração. Aliás, falando em coração, estou empenhada em seguir os conselhos do Globo Repórter de ontem (hahaha): para acompanhar - e proteger meu coração, claro - uma taça de vinho.

Bom, curte aí a receita super fácil.

- 1/4 de abóbora japonesa
- 1 cebola pequena
- sal a gosto
- pimenta do reino a gosto

Cozinhe a abóbora com a casca. Bata no liquidificador até formar um creme. Corte a cebola em cubinhos e doure-a em água. Tempere com sal e pimenta do reino. Na hora de servir, piquei umas azeitonas pretas no prato. Mmmnmn....

domingo, 28 de novembro de 2010

Guia d@ Solteir@ Vegan@ - Episódio 10


Já diz o ditado que quem não tem cão caça com gato. Hoje foi o dia. Domingo à noite, não tinha muitos insumos vegetais para fazer comidinhas. Achei que tinha uma lata de tomate sem pele e pensei em fazer um macarrãozinho (de arroz) básico. Mas uma busca na despensa revelou que o tal tomate já tinho sido usado em alguma outra ocasião que não me lembro. Preguiça enorme de sair com essa chuvinha. Então, vamos lá: penne de arroz ao alho e óleo com ervas finas e castanhas de caju! Simples, rápido e fácil. Longe de ter todas as verdurinhas que queria colocar, mas quebrou um galho danado. Na hora da foto, a bateria da máquina de final. Solução: foto tirada com celular. Quem não tem cão...

Delícia de oficina

Pois é, já tinha contado pra vocês que ia fazer uma oficina para estagiários e alunos de Nutrição do UniCEUB. A convite da Patrícia, que foi minha professora da faculdade, fui levar um pouquinho do que aprendi sobre alimentação natural para 7 jovens mulheres que ainda estão estudando, mas que, pelo desempenho na oficina, serão ótimas profissionais.
Pelas foto vocês acompanham a entrada: shimeji ao molho de shoyu e ervas finas sobre cama de brotos de lentilha.



O prato principal: penne ao pesto de rúcula com molho de tomate cereja e castanha de baru.



E a sobremesa (no momento em que foi ornamentada pelas talentosas participantes): pavê de coco com castanha do Pará, creme de manga e maracujá.



Só tenho a agradecer: pela oportunidade de compartilhar e pela tarde de pura diversão!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Guia d@ Solteir@ Vegan@ - Episódio 9


Oi, gente.
Hoje a receita é de uma sopinha de lentilha com abóbora. Mas, como tudo aqui neste blog sempre tem uma historinha, aí vai ela. Vou fazer uma oficina para estagiários do curso de Nutrição de uma instituição de ensino aqui de Brasília. No menu, tem brotos de lentilha. Daí, é claro, aproveitei que ia germinar as sementes para o curso e hidratei uma quantidade extra, já pensando na sopinha da noite. Como sou fissurada em verdurinhas, acrecentei abóbora japanonesa em cubos, com casca e tudo (mais fibras e nutrientes e menos desperdício!). Aí vai receita:

- 1 xícara de lentilha previamente hidratada
- 1/4 de abóbora japonesa
- 1 cebola pequena
- Açafrão a gosto
- Sal a gosto

Corte a cebola em cubinhos e doure com pinguinhos de água. Corte a abóbora em cubos e coloque na panela com a cebola já dourada. Acrescente a lentilha, refogue por alguns minutos e cubra com água fervente. Tempere com sal. Quando estiver cozido (ao dente), acrescente o açafrão (para que não perca sua propriedades antioxidantes). Já está! Sirva com um fio de azeite de oliva.

Receitinha super fácil! Agora, dá licença que a fome bateu.

Beijos.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

domingo, 24 de outubro de 2010

Dia de chuva


Mmmmmm.... Que vontade de comer uma coisa bem gostosa e quentinha neste domingo chuvoso! Aí está meu risoto de funghi porcini. Um prato que adoro e que há muito não fazia. Vontade satisfeita. Delírio...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Guia d@ solteir@ vegan@ - Episódio 7


Nada como um sopinha aconchegante depois de um dia puxado, com direito a duas horas de espera para ser atendida no Procon. Cebola cortada em cubinhos dourada na água, batata baroa (que derrete na sopa e forma um creme), abóbora japonesa cortada em cubinhos. Cobrir com água, acrescentar sal e um pedaço de gengibre. Por último, a abobrinha cortada também em cubos, para que mantenha ao dente. Um toque de salsa e aí está. Demais!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Guia d@ Solteir@ Vegan@ - Episódio 6


Cheguei tarde do trabalho, varada de fome. Desde cedo já tinha me planejado para fazer uma macarrãozinho (tava desejando...). Só não contava que ia chegar tão tarde. Então fiz uma ligeira correção nos planos de vôo. Em vez de penne com tomates, berijelas e castanhas, resolvi experimentar um macarrão com tomate e acelga (???). Parece estranho, né? Mas não é que ficou demais! Cortei os tomatinhos cereja em cubinhos, coloquei na panela com um pouco de azeite, depois só joguei a acelga cortada em tirinhas e temperei com sal e pimenta do reino. Ao final, salpiquei castanhas de caju trituradas. Nesse meio tempo o penne de arroz estava cozinhando na panela ao lado. Confesso que cheguei a pensar que ia ficar uma gororoba, mas ficou bom demais!

Outra coisa legal é que consegui aproveitar o pouquinho de tomate que tinha e o restante da acelga que eu não tinha usado no yakisoba que fiz ontem. A berinjela ficou intacta para novas aventuras. Estou aqui matutando o que fazer com ela.

Beijos!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Café da manhã sertanejo


Bom dia, galera!
Hoje resolvi homenagear os ancestrais da família materna. Então aí está um belo café da manhã sertanejo. Banana da terra cozida e cuscuz de milho. A farinha de linhaça (feita em casa) sobre o cuscuz dá um toque no sabor e acrescenta um pouco de fibras à refeição.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Guia d@ solteir@ vegan@ - Episódio 5


Deu desejo! Na semana retrasada, fiz um quibe de abóbora em uma oficina. Uma receita que há muito não fazia. Só que não pude esperar para saborear o prato. Daí fiquei com aquilo na cabeça. Esta semana resolvi matar meu desejo. Ontem cozinhei a abóbora para facilitar a vida e hoje de manhã, antes de sair, lavei o triguilho e deixei ele cobertinho com um pano úmido na geladeira. Abaixo a receita.

Quibe de abóbora
Rendimento: 5 porções

Ingredientes

½ abóbora japonesa
1 xícara de triguilho
1 cebola pequena
Hortelã
Pimenta síria
Sal marinho a gosto: ½ colher de sopa

Como fazer

O primeiro passo é lavar o triguilho e deixar que absorva a água durante 1 hora.
Cortar a abóbora em fatias, retirar as sementes e cozinhá-la no vapor até que seja possível amassá-la com um garfo. Amassar a abóbora e adicionar a cebola ralada, o triguilho, hortelã, pimenta síria e sal. Colocar numa assadeira levemente untada com azeite e levar ao forno médio por 30 minutos.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Guia d@ solteir@ vegan@ - Episódio 4


Oi, gente.
Arroz integral é uma das coisas que mais adoro. E um dos alimentos mais versáteis e fáceis de fazer também. Saí de manhã e deixei 1 xícara de arroz integral de molho, porque aí, quando eu chegasse em casa à noite, ele ia cozinhar em 10 a 15 minutos. De verduras, tinha 1 abobrinha, 1 tomate e 1 cenoura que já estava ralada. Então, quando cheguei, rapidamente fiz o arroz, dourando meia cebola cortada em cubinhos na água (sem óleo), refogando o arroz (depois de jogar fora o excedente da água do molho) e acrescentando uma medida e meia de água ao arroz, neste caso, uma xícara e meia. Separadamente, salteei o tomate e a abobrinha cortados em cubinhos em uma panela de fundo grosso, temperando com sal e pimenta do reino. Quando a abobrinha ficou ao dente, acrescentei umas castanhas de caju trituradas e a cenoura ralada. Na hora de montar o prato, um pouco de azeite sobre tudo. Uma delícia!

Ah! Hoje providenciei o saca-rolhas e consegui tomar uma tacinha de vinho. Tudo de bom!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Guia d@ solteir@ vegan@ - Episódio 3

Na verdade, este é o dia 0, antes até da ideia do Guia. Tinha dado uma oficina pela manhã e sobrou ¼ de uma abóbora japonesa. Em casa, entre os temperinhos de sempre tem shoyu e tahine (pasta de gergelim). Então fiz uma receita campeã das oficinas que agora divido com vocês. Retire as sementes da abóbora e corte-a em meias luas, com casca e tudo. Coloque-as sobre um refratário (um pirex mesmo). Faça um molhinho com 2 colheres de sopa de shoyu e 1 de tahine e derrame-o sobre as meias luas. Leve ao forno por 30 minutos ou até que a abóbora fique macia. Fica muito gostoso com um arrozinho integral. Mas nesse dia não tinha. Daí comi com bolacha de arroz e ficou uma delícia! Ah! Não tem foto porque eu ainda não tinha tido a ideia do Guia (hehehe). Fica por conta da imaginação...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Guia d@ solteir@ vegan@ - Episódio 2


Ainda sobraram 2 cenouras e 1 abobrinha, lembram? Tinha comprado lentilha. Então hoje de manhã, antes de sair para o trabalho, deixei as lentilhas de molho. Você pensa que o molho é uma bobagem do tempo da vovó? Engano seu. Deixar feijões (lentilha, ervilha, grão de bico) de molho é uma ótima maneira de agilizar sua vida e sua digestão. Tanto é que fiz essa sopinha aí da foto em menos de 30 minutos, contando o tempo de cortar a cenoura, a abobrinha e ½ cebola. Esse processo de hidratação reduz o tempo de cozimento (no caso da lentilha nem precisei de panela de pressão) e ativa as enzimas dos grãos, facilitando também a digestão. Então aí está a sopa de lentilha com verduras. Para fazer é fácil. Jogue fora a água do molho e lave bem as lentilhas. Corte uma cebola, uma cenoura e uma abobrinha em cubinhos. Doure a cebola em água (sem óleo, é bom que nem suja a panela), pingando gotinhas de água aos poucos para que a cebola não grude no fundo da panela. Acrescente as lentilhas, tempere com sal marinho e adicione água fervente de forma a cobrir as lentilhas. Em outra panela coloque a cenoura e a abobrinha com um pouco de molho shoyu (lembre-se de escolher o macrobiótico – sem açúcar e sem glutamato). Quando os legumes estiverem ao dente, misture-os à lentilha, acerte o sal e tempere com uma pitada de pimenta do reino. Azeite de oliva vai super bem no prato já servido. A parte chata é que eu pretendia tomar uma taça de vinho para acompanhar (coloquei até o vinho para resfriar). Mas adivinha! Aqui na casa nova ainda não tem saca-rolhas. Aí chora! Fica pra amanhã.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Guia d@ solteir@ vegan@ - Episódio 1


Bom, primeiro deixa eu botar essa história em pratos limpos. Cheguei em casa hoje meio cansada, mas ao mesmo tempo pilhada para fazer minha comidinha. O que eu tinha na geladeira: 2 abobrinhas, 1 berinjela e 2 cenouras. Lembrei que tinha também uma pasta de azeitona (dessas de vidrinho mesmo) e um pouco de penne de arroz. Estava com preguiça de cortar cenoura, então cortei somente 1 abobrinha e 1 berinjela em cubinhos e fiz um mini-Ratatouille DaHora. Cozinhei o macarrão à parte e temperei com pasta de azeitona. Sentei pra jantar toda feliz e me deu o estalo. E se toda vez que eu fizesse alguma coisa do gênero eu postasse a ideia com as linhas gerais da receita? Ia quem sabe ajudar um bocado de gente que chega à noite cansado e quer comer uma coisinha saudável e rápida. Bem seguindo os princípios da DaHora.

Então é isso. A partir de hoje vou postar as ideias que tiver para juntar o que tem na minha geladeira com os desejos do meu estômago. E daí quem sabe essa combinação não agrada também o seu paladar e dá uma dica do que preparar para o jantar? E, é claro, fique à vontade para mandar as suas ideias para o blog. Estou aberta a contribuições. Vamos testar!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

sábado, 5 de junho de 2010

Aprendizes de chef


Ontem fiz uma oficina muito divertida na casa de uma amiga e contei com ajudantes de primeira. Olha só a pose do trio rosa choque exibindo suas belíssimas mandalas de frutas.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Relíquias de família






Um episódio pitoresco ocorrido na noite de ontem me fez lembrar que estou devendo este post há pelos menos 2 meses. Estava eu em um badalado café da cidade, conversando com amigos, quando avisto alguns outros amigos do outro lado da rua fazendo nada menos do que um churrasquinho (com direito a cerveja gelada, pão com liguiça e sal grosso temperado com alho e ervas finas) em plena comercial da Asa Norte. Quem conhece Brasília vai enteder o contraste - e ao mesmo tempo a autenticidade - dessa cena. E, nessa conversa de churrasquinho, começamos a falar das kaftas e da culinária árabe até chegar à conclusão de que, apesar dos maravilhosos pratos com carne, a cozinha árabe é riquíssima em iguarias veggies.

E é mesmo. Há cerca de 2 meses (daí vem o post que estou devendo) reunimos as tias e primas (pra quem não sabe, meus bisavós paternos eram libaneses) para recuperar as receitas da família. Só que a proposta era preparar apenas pratos vegetarianos. De cara, minhas tias arregalaram um olho deste tamanho achando que eu estava louca e que era quase um sacrilégio não incluir as carnes nesse evento. Mas não é que deu certo!

Pela foto, vê-se que a mesa foi bem farta - e olha que não aparecem os dois pratos quentes que fizemos. E alguns convidados que chegaram só para a etapa da degustação nem se deram conta de que a talzinha não constava do menu. Pra falar a verdade até as crianças a gente enganou com um "hambúrguer" de trigo com hortelã que ninguém diz que não tem carne moída.

O próximo passo agora é fazer oficinas de culinária para compartilhar e eternizar essas delícias! Quem topa?

quinta-feira, 29 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Oficina DaHora na Santa Rita - parte 3

No final, o dia rendeu muita prosa, travessuras e novas amizades.





E nos proveu essa linda mesa!



Mais uma vez, agradeço!

Oficina DaHora na Santa Rita - parte 2

Sobremesa a gente come depois, mas faz antes, pra dar tempo de ficar geladinha. Nas fotos, as meninas preparando o creme de manga e dando o toque final na decoração com folhinhas de hortelã.




Chegou a hora então de ralar o milho e cortar e refogar a taioba para a torta.





Torta pronta, finalizar o purê de abóbora, fazer o quiabo com shitake e o penne ao pesto de rúcula.

Oficina DaHora na Santa Rita - parte 1

Depois de uma semana de trabalho intenso - fechar inscrições, fazer compras, organizar material -, tudo pronto: minha casa em oito caixas.



Chegada na Santa às 9h em ponto. Grupo excelente e pontual. Agradeço.




Enquanto, o pessoal passeia pela chácara e o Júlio mostra a minhocasa, eu, a Ju e a Iza (que na hora da foto estava lá na sede, lavando as folhas) organizamos tudo para dar início à oficina propriamente dita.


terça-feira, 13 de abril de 2010

Últimas vagas para a oficina de sábado

Oi, gente.

Só temos mais 2 vagas para a oficina deste sábado.

Ontem fui lá na Santa Rita e vocês precisam ver como está agradável. E ainda com esse tempinho mais fresco, tudo de bom!

Quem tiver interesse, entre em contato comigo o mais rápido possível (8401 8546).

Beijos.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Oficina de culinária natural na Chácara Santa Rita - 17 de abril

A DaHora Culinária Vegetariana convida você para fazer uma oficina culinária diferente.

Começando pelo local, que será na Chácara Santa Rita, uma das unidades permaculturais do Ipoema, que fica a 30km do Plano Piloto (veja o mapa). É um lugar super agradável para passar um dia de sábado em contato com a natureza, aprendendo a fazer comidinhas gostosas e saudáveis.

Outra coisa diferente é a oportunidade de conhecer um pouco dos princípios da permacultura, uma ciência que nos ajuda a conviver de maneira mais harmônica com a natureza (já que também fazemos parte dela!).

E mais uma novidade! A maior parte dos ingredientes usados nas receitas que vamos fazer são produzidos em agroflorestas. Isso significa que, além de serem orgânicos, ajudam a reflorestar áreas antes desmatadas.

Além de aprender a fazer as preparações, vamos conversar um pouco sobre como combinar os alimentos, como aproveitá-los melhor e quais os efeitos e benefícios de cada um no nosso organismo.

A oficina será no dia 17 de abril (sábado), seguindo a programação abaixo:

9h - Chegada à Chácara Santa Rita
9h30 - Saída para a visita guiada
11h - Oficina DaHora
13h30 - Almoço
14h30 às 15h - Livre para descanso ou passeio pela chácara

Abaixo o cardápio, que foi elaborado de acordo com a disponibilidade dos produtos da safra nas agroflorestas. Vamos fazer dois menus harmonizados (nutricionalmente completos) e uma sobremesa.

Menu 1
Torta de milho verde com taioba acompanhada de purê de abóbora com gengibre

Menu 2
Penne de arroz ao pesto de rúcula com tomates cereja e castanhas de baru acompanhado de quiabo e cogumelos shitake salteados

Sobremesa: pavê de frutas e castanhas

Investimento: R$80,00
Se levar um amigo, os dois ganham desconto: R$70,00 cada

Inscrições e pagamento até 10 de abril (sábado) com Maíra, pelo telefone 8401 8546. Formas de pagamento: cheque, dinheiro ou transferência bancária (Banco do Brasil - Agência 3477-0 - Conta 28264-2)

Espero vocês.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Existe vida além da carne de soja



Pois é, para muitas pessoas persiste essa ideia de que comida natural é sem graça, sem gosto e até feia. Mas isso está mudando e basta fazer uma visita a alguns bons restaurantes naturais da cidade para comprovar que a culinária natural evoluiu um bocado nos últimos anos.

Umas duas semanas atrás fiz uma reuniãozinha para as amigas só com delícias naturais: gaspacho, torta de quinoa com tofu, pasta de castanha do pará com salsinha e pasta de abóbora com gengibre. Tudo bonito, colorido e gostoso.

Esta semana uma paciente minha que está fazendo uma dieta de desintoxicação comentou comigo que estava achando a vida meio sem graça, nem tinha mais vontade de comer. Falei para ela que estava faltando um pouco de glamour na comida. Quem disse que natural tem que ser sem graça? Então sentamos juntas e elaboramos um cardápio para toda a semana com preparações deliciosas e atrativas feitas com os ingredientes que ela podia comer (acho que ela está bem mais feliz agora!).

E ontem, para comprovar que existe vida além da feiosa proteína texturizada de soja, eu e meu querido amigo (e tio) Alexandre Ribondi fizemos abobrinhas recheadas com quinoa e um belo molho de tomate. É só olhar a foto! Ficou bonito ou não ficou? A receita vocês vão ter que pedir pra ele (rs...)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Todo se transforma


Essa semana eu encasquetei que queria comer couve-flor. Acho que o prato do programinha de carnaval não satifez meu desejo. Então, comprei couve-flor. Já tinha um shitake seco em casa, que coloquei para hidratar. Daí ganhei um arroz integral cateto, orgânico, super-power-tudo-de-bom e resolvi fazer à moda macrô: na panela de pressão. Fiz a couve-flor no vapor e o shitake em tirinhas. Tudo legal, natural, integral... Só que, muito metida, fui fazer o arroz sem ler a receita e acabei colocando o dobro da água necessária. Resultado: arroz mais que concentrado. O sabor ficou excelente, mas, de fato, a consistência precisava de ajustes (hehehehe).

Então, hoje lembrei da música do meu querido Jorge (Drexler)- por sinal, essa semana também encasquetei de ouvir o Jorge sem parar - e essa canção diz mais ou menos assim: "Nada es más simples, no hay otra norma, nada se pierde, todo se transforma". E fiz o quê? Creme de couve-flor(com molho branco de castanha do Pará) e bolinhos de arroz! Ficaram ambos incríveis. Viva o Lavoisier!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Programinha de carnaval



Gente, vou falar uma coisa pra vocês. Fazia tempo que eu não via essa cidade tão vazia num feriado. Não sei se fui eu que não passei pelos lugares "certos" ou se todo mundo viajou mesmo. Mas na verdade foi bom pra curtir uma preguicinha. E olha aí o programa de domingo. Almocinho na casa da mamãe, com direito à lasanha de berinjela (feita pela Luísa, que trabalha lá há séculos) com couve-flor salteada e cogumelos paris ao shoyu e vinho branco, obras de arte minha e da minha mãe. E o desafio do dia foi deixar os cogumelos ficarem bem sequinhos, do jeitinho que a gente queria, porque esses taisinhos soltam uma água danada. Mas taí! O resultado valeu a pena.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Delícias para o dia-a-dia



Olá pessoal.
Na última sexta-feira, fiz uma oficina muito legal na casa da Eliana e do João. Eu, a Eliana e a Antônia (que trabalha lá há apenas 25 anos) fizemos seis preparações salgadas e uma sobremesa. Todas super rápidas, ideais para conciliar nossa vida corrida com uma alimentação saudável. No menu do almoço, arroz integral, feijão azuki, abóbora com molho de tahine ao forno e quiabo com shitake. Para o jantar, uma deliciosa sopa de quinoa, abobrinha e cenoura. A sobremesa foi uma compota de maça sem açúcar. Curtam as fotos aí. Beijos.