quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Jantarzinho básico à moda indiana

Minha paixão pelo ghee continua, mas desta vez usei no preparo desta comidinha (foto). Cenoura ralada grossa e acelga cortada em tiras refogadas rapidamente no ghee (não precisa usar muito, um pouquinho já dá um sabor intenso). Para completar, um toque de curry. O acompanhamento, bem simples: arroz integral com gergelim preto.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Meu novo vício...

Meu novo vício é... Tapioca com coco ralado e ghee!

Mas tudo aqui tem história, né?

Esse ghee, lindo e cheiroso, fui eu mesma que fiz. Nunca nem tinha experimentado para falar a verdade. Só tinha ouvido falar que a manteiga clarificada indiana tem diversas propriedades nutricionais, culinárias e terapêuticas. Daí meu pai fez uma manteiga orgânica com o leite lá da chácara dele, mas ficou com mais água do que deveria. Então tive a ideia de testar o ghee e deu super certo. Muito interessante como aquela espuma vai saindo e um perfume delicioso começa a ser exalado da panela.

Coincidiu que o marido tinha comprado um coco para ralar, pra gente relembrar os bons momentos de tapioca com coco da viagem a Japaratinga (AL) uns tempos atrás.


Combinação perfeita: tapioca com coco e ghee. Quero todo dia!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Série "Fim da Mordormia" - Cardápio Semana 8



Pessoal,
Decidi dar um tempo desta série por enquanto, pois achei que o cardápio estava começando a ficar repetitivo. Encerramos então com o número 8, perfeito, símbolo do infinito, e deixo o compromisso de atualizar quando fizer algo diferente.

Começando de trás para frente, acima está o registro do ponto alto da minha semana que foi o mexidinho de arroz integral, feijão, cenoura, ralada, tomate e um toque de rúcula, ou seja, de tudo o que havia sobrado da semana. Huuuummmmm!!!!

Na lojinha de orgânicos:
- Rúcula (ainda não tinha achado a rúcula, mas fui de manhã e achei mais variedade de folhas)
- Cenoura
- Tomate cereja
- Brócolis
- Rabanete

Já tinha em casa:
- Arroz integral
- Feijão (que, por sinal, acabou)
- Cebola

Cardápio do almoço (5 porções):
- Salada de rúcula, cenoura e tomate cereja
- Arroz integral com cenoura
- Feijão
- Brócolis no vapor

Cardápio do jantar (2 porções)
- Arroz integral
- Rabanete com tomate e cebola cozidos com tempero árabe

E ainda deu uma sobrinha pro mexidinho aí da foto :)



sábado, 3 de novembro de 2012

Série "Fim da Mordomia" - Cardápio Semana 7

E vamos a mais uma semana de sucesso. Tudo bem que sou meio suspeita para falar, porque qualquer arroz com feijão já faz meu dia. Mas estou feliz com a nossa disposição e disciplina de fazer comidinha toda semana, apesar da correria do dia-a-dia.

Na lojinha de orgânicos:
- Repolho
- Tomate italiano
- Beterraba
- Salsinha
- Abóbora japonesa
- Abobrinha
- Manjericão

O que já tinha em casa:
- Feijão
- Cebola
- Páprica doce
- Macarrão de arroz (parafuso e bifun)
- Bolacha de arroz
- Queijo feta

Na lojinha de produtos naturais:
- Castanha de caju crua
- Arroz integral

Cardápio do almoço (5 porções):
- Salada de repolho, salsa, beterraba e tomate
- Arroz integral
- Feijão preto
- Purê de abóbora
- Abobrinha na chapa com páprica doce

Cardápio do jantar (5 porções):
- Com o manjericão orgânico, que, por sinal, há tempos não encontrava, fiz um pesto (com azeite de oliva, sal e castanhas de caju). Esse pesto serviu de jantar por alguns dias. Primeiro com uma massa parafuso de arroz, com tomates e um toque de queijo feta. Depois como pastinha em uma bolacha de arroz. E, por fim, como só tinha um pouquinho de parafuso, com bifun.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Série "Fim da Mordomia" - Cardápio Semana 6

Desta vez, me superei. O prato principal do cardápio desta semana ficou uma coisa de tão gostoso.

Vamos lá:

Compras na lojinha de orgânicos:

- Alface americana
- Cenoura
- Tomate italiano
- Couve manteiga
- Couve-flor
- Rabanete

O que já tinha em casa:

- Arroz integral
- Grão de bico
- Cebola
- Temperos

Cardápio do almoço (5 porções)

- Salada de alface, tomate, cenoura
- Arroz integral básico só com pouquinho de cebola
- Couve refogada
- E o tchan da história: grão de bico previamente cozido e em seguida refogado com cebola, couve-flor e rabanete (em homenagem à minha amiga Dani que me ensinou a comer rabanete cozido). O toque final, um temperinho libanês à base de pimenta do reino e canela (e outras ervinhas que minha sogra não revela). Um espetáculo!!!

Ontem, ainda deu pra fazer um mexidinho de arroz integral, couve, cenoura e tomate que ficaram da semana.

Estou adorando essa falta de mordomia!

sábado, 20 de outubro de 2012

Arroz com beterraba

A gente sempre fala de arroz com brócolis, arroz com cenoura, mas acontece que o restinho da vez era a beterraba. Lembrei que já tinha comido um delicioso risoto de beterraba em um restaurante lá em Moreré, na Bahia. Daí precisava jantar e só tinha sobrado salada de acelga e beterraba. Fiz então um arroz integral novo e coloquei a beterraba que já estava ralada ao final do cozimento e, separadamente, "assustei" a acelga em um pouquinho de azeite (para quem não sabe "assustar" é refogar rapidamente). Tá aí: arroz com beterraba vai entrar para o cardápio. :)

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Série "Fim da Mordormia" - Cardápio Semana 5


Olha que orgulho, gente! Esta semana foi o marido que fez o almoço! Deixamos tudo lavadinho, cortadinho e hidratadinho de véspera como de costume, mas na hora de finalizar, o mérito foi todo dele.  Cheguei hoje e o rango já estava pronto e delícia. Vamos às compras e ao menu:







Da lojinha de orgânicos:
- Acelga
- Cenoura
- Beterraba
- Tomate cereja
- Brócolis
- Maxixe

Já tinha:
- Arroz integral
- Feijão preto
- Leite de coco
- Cebola
- Gengibre

Cardápio de almoço (5 porções, a gente estava com mais fome hoje e sobrou menos para a semana):

- Salada de acelga, beterraba ralada e tomate cereja
- Arroz com cenoura
- Feijão preto
- Brócolis no vapor

Cardápio do jantar (2 porções):

- Arroz integral com leite de coco
- Maxixe refogado temperado com gengibre

Na foto, as porçõezinhas já embaladas para as próximas refeições. Ah! E tenho que contar pra vocês que nunca tinha feito maxixe. Não sabia que tinha que passar a faca para raspar os espinhos, então só lavei para refogar. Fiquei meio receosa na hora de comer, mas deu tudo certo. Uma delícia!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Série "Fim da Mordomia" - Cardápio Semana 4

Nem tudo sai perfeito nessa série. Nesta quarta semana de aventuras culinárias, o cardápio na minha cabeça estava perfeito, mas a execução não ficou a contento.

Os planos:

Compras na lojinha de orgânicos:

- Alface americana
- Tomate cereja
- Cenoura
- Abóbora japonesa
- Tomate italiano
- Vagem
- Milho

O que tinha em casa:

- Berinjela (ainda da herança da semana passada que a minha mãe havia deixado, lembram?)
- Batatas (idem)
- Arroz integral
- Feijão

Cardápio almoço (6 porções):

- Salada de alface, tomate cereja e cenoura
- Arroz integral
- Feijão com abóbora
- Berinjela com tomate italiano ao forno com ervas de Provence

Cardápio jantar (2 porções)
- Refogadinho de milho com vagem
- Berinjela com tomate (fiz bastante, tinha muita berinjela)

Os contratempos:

Pois é, eu e o marido deixamos tudo lavado e cortado de véspera, como de costume, mas acontece que cheguei mais tarde do que o previsto em casa, logo estava morrendo de fome e ainda tinha que cozinhar o feijão! Tudo bem que na panela de pressão é rapidinho, mas neste dia o bicho pegou: além de ter chegado mais tarde, a panela de pressão empacou (tivemos que recomeçar o processo), coloquei água demais no feijão (pensando que seria necessário mais água por causa da abóbora), coloquei sal de menos no feijão, a berinjela ficou meio dura e também não pegou o sal direito e, de quebra, o milho estava meio velho e bastante fibroso. Ufa!

Almocei meio mal-humorada, mas depois - sem a pressa e a fome atrapalhando - a gente deu um jeitinho. Cozinhamos o feijão mais um pouco para a água evaporar, assamos um pouco mais a berinjela e cozinhamos um pouco mais o milho. Daí tudo ficou delícia e resolveu o resto da semana.

O leitor atento vai me perguntar: cadê as batatas? Deixei o melhor para o final. Maridão me deu um presente no jantar de quarta: batatas assadas recheadas de cogumelos shitake na manteiga e cebolas carameladas. Um toque de páprica doce e de um queijinho de trança, presente de um amigo. Dá só uma olhada:




sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Escondidinho de soborô

Minha mãe viajou e me deixou de presente todas as verduras que tinha na casa da dela. Coincidiu que eu tinha acabado de fazer minhas compras da semana e então eles não foram usados para nenhuma receita da série "Fim da mordomia". Daí hoje, com a geladeira ainda cheia de verduras, precisava desenvolver algo que aproveitasse:

- 3 inhames
- 2 batatas doces
- 1 chuchu
- 1 cenoura
- 1 cebola
- 1 pacotinho de 200g de guariroba
- 1 restinho de azeitonas pretas

O que fazer? Na foto abaixo, meu delicioso escondidinho de soborô.





Cozinhei o inhame e a batata doce com um pouco de sal, amassei com um garfo para fazer um purê e acrescentei um pouquinho de azeite para umeder.

Separadamente, refoguei todos os demais ingredientes, cortados em cubinhos. O tempero foi sal e páprica doce. Um close do recheio.




Na hora de montar, um fiozinho de azeite para untar a forma, depois os legumes e por último o purê. Vinte minutos de forno a 180 graus e aí está.


terça-feira, 2 de outubro de 2012

Série "Fim da mordomia" - Cardápio Semana 3

Esta semana, resolvemos caprichar. Compramos uma panela de pressão para fazer feijão!!!

Então, vamos lá:

Compras na lojinha de orgânicos:

- Repolho
- Cenoura
- Beterraba
- Tomate cereja
- Couve flor
- Espinafre

O que tinha em casa:

- Arroz integral
-  Feijão preto
- Gergelim preto
- Cebola

Cardápio almoço (6 porções - rendeu bem!):

- Salada de repolho, cenoura, beterraba e tomate
- Arroz integral
- Feijão preto
- Couve-flor gratinada com cenoura ralada e gergelim preto
- Espinafre ao vapor

* Fiquei tão orgulhosa da minha comida, que chamei minha mãe para almoçar :)

Cardápio jantar (3 porções):

- Creme de couve-flor e espinafre temperado com cebola roxa e noz-moscada. Acompanhei com um pãozinho de inhame (foto abaixo). Hoje ela vai ser acompanha de milho verde (ganhei da mamãe).









Série "Fim da Mordomia" - Cardápio Semana 2

Na semana seguinte, tudo bem mais fácil.

Compras na lojinha de orgânicos:

- Couve
- Tomate cereja
- Abobrinha
- Cenoura
- Berinjela

Compras em mercadinho:

- Cogumelo shitake
- Ervilha torta
- Cebola

O que tinha em casa:
- Arroz integral e grão de bico (nossa, quanta criatividade, mas prometo que na semana 3 melhora!)
- Macarrão de arroz e tomate sem pele (em lata), azeitona e castanha de caju

Cardápio almoço (5 porções):

- Salada de couve com tomate cereja
- Arroz integral
- Shitake salteado no shoyu e na manteiga com cebola, cenoura e ervilha torta

Cardápio jantar 1 (3 porções):

- Sopa de grão de bico, abobrinha, cenoura e couve (foto).






Cardápio jantar  2 (2 porções):

- Massa parafuso ao molho de berinjela, tomate e azeitonas pretas com um toque de pimenta do reino e castanhas de caju trituradas.


Série "Fim da mordomia" - Cardápio Semana 1

Pois é, minha gente. A mordomia acabou.  Não sei se vocês sabem, mas vinha almoçando na casa da mamãe 3 vezes por semana. Com as férias prolongadas da empregada dela, que resolveu passar 3 meses fora, tive que voltar a cozinhar com mais frequência. Mas até que está divertido e menos difícil do que imaginei. E o legal é que tem mais conteúdo pro blog.

A ideia aqui não é detalhar as receitas, que são bastante simples, mas ajudar na elaboração de cardápios para o pessoal que tem preguiça de pensar no que vai comer.

Vamos lá: semana 1

Compras na lojinha dos orgânicos:

- Alface roxa
- Cenoura
- Beterraba
- Tomate cereja
- Repolho
- Brócolis
- Abóbora
- Cheiro verde (salsa e coentro)

O que tinha em casa:

- Arroz integral
 - Grão de bico

Cardápio almoço (4 porções):

- Salada de alface, cenoura, beterraba e tomate
- Arroz integral com cenoura
- Brócolis no vapor
- Repolho refogado no azeite com gergelim preto

Cardápio jantar 1 (3 porções):
- Creme de abóbora temperada com páprica doce e cheiro verde

Cardápio jantar 2 (3 porções):
- Salada de grão de bico, cenoura ralada e cheiro verde.

* Não tirei fotos, ainda estava na correria me acostumando com rotina nova.



quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Metamorfose


Como transformar a salada do almoço em um jantarzinho bem gostoso em 20 minutos?

Cozinhe uma xícara de lentilha em 1/2 copo de  água e uma pitada de sal. Aí está o pulo do gato. Sabendo que ia chegar com fome em casa e que precisaria de uma coisa rápida, deixei a lentilha de molho antes de sair ao meio-dia. Lentilha cozida em 10 minutos! Lembre-se de jogar fora a água do molho e  de desprezar as cascas que saírem na hora de lavar.

Pegue a cenourinha e a beterraba raladas que sobraram do almoço (se não tiver sobrado, rale na hora, leva 5 minutos extras). Pique 2 tomatinhos e misture todas as verduras com a lentilha temperando com azeite de oliva e sal marinho.  Fácil assim!

sábado, 1 de setembro de 2012

Misturinhas 3




Lanchinho da tarde! Mais uma invenção de tapioca. Hoje com inspiração na Itália: manjericão e azeite de oliva. E sempre aquele toque nutritivo da farinha de linhaça. Agora é só fechar e saborear.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Pão de Mel da Maíra



Bom pessoal, 
Minha irmã é louca por pão de mel, só que, assim como eu, não se dá muito bem com farinha de trigo. Daí eu tinha uma receita de pão de mel convencional de uma prima que é confeiteira de mão cheia e decidi adaptar, usando farinha de arroz no lugar do trigo, leite de amêndoas no lugar do leite de vaca e linhaça e óleo de babaçu no lugar do óleo convencional. Acho que deu certo!


Pão de mel da Maíra
Rendimento: 14 bolinhos

Ingredientes

4 xícaras de farinha de arroz
1 xícara de açúcar mascavo
1 xícara de mel
1 xícara de óleo de coco ou de babaçu
½ xícara de cacau em pó
12 amêndoas previamente hidratadas
4 colheres de sopa de semente de linhaça previamente hidratadas
1 colher de sopa de canela em pó
1 colher de chá de noz-moscada
1 colher de chá de cravo
1 colher de sopa de bicarbonato de sódio


Como fazer

Bata a linhaça e as amêndoas no liquidificador com 1 xícara e meia de água filtrada e reserve. Em uma bacia, coloque os demais ingredientes e vá acrescentado a linhaça batida com as amêndoas aos poucos, misturando com o auxílio de uma batedeira até obter uma textura homogênea. Unte forminhas de silicone com um pouco de óleo. Coloque para assar em forno pré-aquecido a 220 graus por 30 minutos.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Gorduras do bem x Gorduras do mal: uma visão da naturopatia


Nossas bisavós cozinhavam com banha de porco, nossas avós, com óleo de soja, nossas mães, com margarina. Mas agora estamos livres, pois não precisamos mais de nenhum deles para preparar nosso alimento. Outro pilar da alimentação naturopática é a exclusão do uso de óleos de uma maneira geral.

As gorduras como banha de porco, manteiga e creme de leite não são usadas por serem de origem animal e apresentarem um perfil pró-inflamatório. Ao entrarem em contato com o nosso organismo, ativam nosso sistema imunológico produzindo inflamação e aumentando a produção de substâncias tóxicas pelo nosso próprio corpo. Sem contar as toxinas que já estavam nos sistemas dos animais e vieram “de brinde” nessas gorduras, que é onde a maioria das toxinas se acumula (inclusive em nós humanos).

Já os óleos de origem vegetal, como soja, canola, milho e girassol, são produzidos por um processo nada interessante para a qualidade final do produto. As gorduras presentes nos alimentos de origem de fato são benéficas. São aquelas chamadas de poliinsaturadas, que têm características antiinflamatórias e exercem diversas funções importantes no organismo. Mas depois de passarem pelo processo de refino, que inclui calor, pressão e solventes, transformam-se gorduras altamente oxidadas (rançosas), cheias de radicais livres que podem lesar nossas células. Some-se a isso o fato de serem, em seguida, armazenadas em embalagens transparentes, não abrigadas portanto da incidência nociva da luz, e feitas de plástico, substância que quando aquecida libera mais toxinas no seu já tóxico conteúdo.

Na margarina nem se fala! Além de todo esse processamento para extrair os óleos vegetais ainda há a técnica de hidrogenação, que altera a conformação das moléculas de gordura para que tenham aquela consistência mais firme, produzindo um outro tipo de gordura – a trans – que não existe na natureza e que logo o nosso corpo não compreende.

“E o azeite e o óleo de coco?”, vocês vão me perguntar. Na naturopatia tampouco são usados, pois a opção naturopática é sempre usar o alimento fonte e não uma parte dele. Em vez de se extraírem os óleos, prefere-se comer as castanhas e sementes, o abacate, o pequi, o coco ou seu leite natural extraído da própria polpa. Assim, usamos gorduras preservadas na matriz do alimento e em quantidades equilibradas com os demais nutrientes. No entanto, pode-se considerar que os óleos extraídos por prensagem a frio, como o azeite extra-virgem, o óleo de coco, bem como o de linhaça, gergelim e chia, são de boa qualidade. Porém eles devem ser acrescentados ao alimento depois de pronto para que não sofram aquecimento.

Assim, fica dica. Prepare seus alimentos sem óleo e depois acrescente uma dessas opções para dar sabor ao seu prato.

Ah, claro! Como cozinhar sem óleo? Além da técnica do cozimento no vapor ou no forno, outra possibilidade é fazer refogados dourando a cebola em água. Para isso, basta colocar a cebola cortada de sua maneira preferida em uma panela de fundo grosso e pingar gotinhas de água aos poucos até que doure, mexendo com o auxílio de uma colher para que não grude no fundo. Algumas panelas, como a de pedra sabão e as woks, dispensam a água.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Arroz de couve-flor

Confesso que não fui eu quem preparou todos os itens desse prato, que foi minha jantinha de ontem, mas, como fui responsável por pelo menos parte dele, me sinto confortável para publicá-lo aqui (hehehe). Bom, nesta composição temos lentilha (preparada igual feijão, com um pouquinho de caldo), alho-poró cortado em rodelinhas e refogado e abóbora cozida. Tudo preparado pela Luísa que cuida da minha comida desde os meus 8 anos de idade. E eu fiz a couve-flor!!! Ela, junto com um básico arroz integral, havia sido meu jantar no dia anterior. Daí pensei por que não juntar a couve-flor a essa marmitinha carinhosa que a Luísa havia preparado para mim? Ficou parecendo arroz (vocês já ouviram falar de arroz de couve-flor, né? - é só picar a couve-flor bem pequena e colocar direto na panela, sem água mesmo, até que fique tenra). No friozinho que estava ontem, perfeito! Ah! Acrescentei umas castanhas de caju e um pouco de salsinha para dar um tchan, tá?!

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Pastas veganas



Oi, gente.
Nesta sexta, fizemos duas pastinhas veganas bem legais com os hóspedes lá do Balsamo Spa. Uma de castanha do Pará com rúcula e outra de tofu. Experimentem!


Pasta de castanha do Brasil com salsa (ou rúcula)

Ingredientes
 1 xícara de castanha do Brasil
½ maço de salsa ou rúcula
Sal a gosto

Como fazer
 Dois dias antes, hidratar as castanhas do Brasil, trocando a água uma vez ao dia. Na hora de fazer, desprezar a água do molho e bater as castanhas no liquidificador com 1 xícara de água até obter uma consistência cremosa. Adicionar a salsa (ou a rúcula) e o sal e bater até obter uma mistura homogênea.

Pasta de tofu

Ingredientes
 250g de tofu
1 cenoura ralada
gengibre ralado
Salsa picada
Sal
Azeite de oliva

Como fazer
 Em uma bacia, amasse o tofu com a cenoura ralada, temperando-o com o gengibre ralado, sal, azeite de oliva e salsa. Está pronta!

Vai super bem com biscoitos de arroz.

Também pode fazer bolinhos e levar ao forno ou mesmo colocar em um refratário e assar. Vira uma torta deliciosa!



domingo, 1 de abril de 2012

Makdus!!!


Desde ontem estou com desejo de comer essa saladinha de grão de bico com tomate cereja, salsinha e cenoura ralada. Quase levantei de madrugada só para colocar o grão de bico de molho (não se preocupem, não estou tão louca assim e acabei colocando hoje de manhã mesmo e preparei à noite). Na hora de comer, lembrei que na minha despensa tinha uma iguaria deliciosa que minha sogrinha faz. Makdus: berinjela recheada com alho, pimenta e nozes curtida em MUITO azeite de oliva. Combinação perfeita, finalizada com lasquinhas de queijo de cabra, presente da minha mamãe.

Ah! Quem quiser provar essa delícia de makdus é só passar na Kafta da 112 Sul e encomendar. Lá abre diariamente a partir das 18h.

terça-feira, 27 de março de 2012

Guia D@ Solteir@ Vegan@ - Episódio 33 - Um presente

Risoto de funghi com arroz integral

Ingredientes

- 1 xícara de arroz integral previamente hidratado (por 4 horas)

- 1 cebola pequena cortada em cubos;

- 100g de funghi sechi

- Sal e pimenta do reino a gosto;

- Tomate cereja, salsa picada e azeite de oliva para temperar

Como fazer

Coloque os cogumelos em uma panela com 500ml de água e deixe ferver. Em outra panela, doure a cebola com gotinhas de água e adicione o arroz integral escorrido. Aos poucos vá colocando água fervente dos cogumelos e mexendo com frequência. Acrescente os cogumelos. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Se necessário, vá acrescentando mais água fervente até que o arroz esteja cozido, porém ao dente.

Sirva com tomates cerejas cortados em quatro, salsinha e azeite de oliva.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Chuchu pode sim ser bom


Ainda na minha fase obsessiva pelo chuchu, apresento a bruschetta de chuchu. Ficou demais. Lâminas finas de chuchu grelhado, queijo e tomate.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Chuchu pode ser bom?


Quem diz que o chuchu é o quarto estado da água ou sofre de falha de caráter grave ou de paladar. Ou então digamos que sofre apenas de má orientação gastronômica em relação ao tema ou ainda de mera falta de sorte. Brincadeiras à parte, o fato é que o chuchu pode ser muito saboroso, desde que bem preparado. É verdade, sim, ele é bastante suculento (para não dizer aguado). Por isso mesmo precisamos prepará-lo no calor seco, de forma a equilibrar essa característica. Sem tirar o lugar do ensopadinho, claro, que possui todo um séquito de fãs. Mas vamos ao que interessa. Nessa receita aí, decidi fazer o chuchu grelhado em lâminas, assim como fazemos com berinjelas e abobrinhas. Por baixo um purê de batata baroa, por cima fatias de queijo prato e cenoura ralada. Anota aí:

Purê
4 batatas baroas pequenas
- Descascar as batatas e cozinhá-las com água suficiente para cobri-las e e um pouco de sal. Amassar com um garfo até formar um purê.

Chuchu grelhado
1 chuchu grande (com casca e tudo)
- Lavar bem o chuchu e fatiá-lo em lâminas finas. Em uma frigideira antiaderente, grelhar as fatias de um lado e do outro.

Montagem do prato
Untar um refratário com um fio de azeite de oliva e colocar o purê. Dispor as lâminas de chuchu grelhado. Sobre cada uma delas, sobrepor uma fatia fina de queijo prato (ou outro de sua preferência, esse era o que tinha em casa). E para decorar, 1 cenoura ralada. Depois é só levar ao forno a 200 graus por 15 a 20 minutos.